“É preciso mostrar para as crianças que o veganismo é um movimento de amor, evitando ataques aos onívoros”. Esse foi o alerta dos debatedores do painel Criando Filhos Veganos, no Congresso VegFest, que prossegue até domingo no Centro de Convenções do Anhembi, em São Paulo.  Para o grupo também é fundamental criar uma rede para apoiar as famílias com filhos veganos.

Carol Destro, mãe de uma menina vegana de nove meses de idade, defende que a introdução do bebê se torna mais tranquila quando há a preocupação em mostrar esse lado do amor pelos animais.  “Quando se introduz de forma suave a criança passa a ver o veganismo de forma natural e não faz uma separação com quem come carne”, analisa.  “Afinal, estamos em uma sociedade que não é vegana e nossos filhos precisam entender que as pessoas não são más por não participarem do movimento, apenas são diferentes”.

Para Mônica Buava, vegana há 18 anos e com uma filha de seis anos, é preciso que se forme uma rede de apoio para acolher pais e mães que queiram introduzir o filho no veganismo. “Durante o painel, famílias que moram no interior e se sentem sozinhas, deixaram claro a importância desse apoio”, disse. “Também precisamos reforçar a questão do amor, da compaixão e da amizade pelos animais, que nem sempre é entendida por quem está de fora”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *